O estado de conservação pouco favorável de ambas as espécies-alvo deve-se à diminuição do número de indivíduos, à presença de espécies invasoras, à redução da qualidade do habitat circundante e à falta de consciência/conhecimento sobre a relevância destas espécies nos objetivos globais de conservação da biodiversidade. A Direção Regional do Ambiente e a AZORINA, S.A., beneficiários coordenador e associado do projeto, possuem a experiência e estrutura necessárias ao cumprimento dos objetivos propostos, nomeadamente através do reforço dos habitats nativos, redução de ameaças e sensibilização ambiental, procurando a sustentabilidade das populações naturais a longo-prazo.

Para alcançar o objetivo principal, mantendo também um equilíbrio adequado de custo-eficácia e uso adequado do Programa LIFE, os trabalhos de conservação estão focados em todos os sítios da Rede Natura 2000 onde ocorrem as espécies-alvo nas ilhas do Faial, Pico e S. Jorge. Desta forma, cooperamos diretamente com os objetivos da Diretiva Habitats e da Estratégia da Biodiversidade da UE, assim como para a implementação do PAF (Quadro de Ação Prioritário) para a Rede Natura 2000 nos Açores, executando ações de conservação in situ e ex situ para as espécies prioritárias e restaurando habitats através do controlo de espécies exóticas invasoras e a plantação e estabelecimento de outras espécies nativas.

O LIFE VIDALIA está ainda ligado ao Jardim Botânico do Faial, uma vez que será no Viveiro de Plantas Raras que serão criados protocolos de propagação das espécies-alvo e produzidas as espécies endémicas para restauro ecológico das áreas de intervenção.

 

Últimas Notícias

LIFE BEETLES é o novo projeto europeu de conservação da natureza aprovado para os Açores

OFERTA DE EMPREGO

Estratégia Regional para o Controlo e Prevenção de Espécies Exóticas e Invasoras desenvolvida no âmbito do Programa LIFE IP Azores (...)

Próximos Eventos
Não existem eventos disponíveis