A Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, através da Direção Regional do Ambiente, realizou, entre fevereiro e março, diversas ações no âmbito do projeto LIFE VIDALIA – Valorização e Inovação, dirigidas às espécies endémicas ‘Azorina’ e ‘Lotus’, que decorreram em todas as ilhas de abrangência deste projeto.

O LIFE VIDALIA visa a conservação destas duas espécies endémicas dos Açores, protegidas pela Diretiva Habitats, nas ilhas do Faial, Pico e São Jorge.

No total, serão 17 as áreas de intervenção, sendo 12 dirigidos à ‘vidália’, espécie do único género endémico dos Açores, e cinco ao ‘Lotus azoricus’, espécie endémica, totalizando uma área de cerca de 95 hectares.

A primeira sequência de trabalhos de conservação consiste na remoção e controlo de espécies de plantas exóticas invasoras nas áreas de intervenção onde se encontram as populações de ‘vidália’ do Morro de Castelo Branco, na ilha do Faial, e da Fajã dos Cubres, em São Jorge, e a população de ‘Lotus azoricus’ da Calheta do Nesquim, na ilha do Pico, de forma a preparar as áreas para as futuras plantações de reforço das espécies endémicas.

Este projeto, com a duração de cinco anos e um investimento de 1,8 milhões de euros, terá ainda outras componentes muito importantes numa estratégia de desenvolvimento sustentável, de promoção de hábitos de conservação da natureza, nomeadamente programas específicos de educação e sensibilização ambientais e de voluntariado ambiental.

Paralelamente, já se deu início às sementeiras das plantas que servirão para a recuperação dos habitats das áreas de intervenção.

Desde a aprovação do projeto, em julho de 2018, a Direção Regional do Ambiente e a Azorina – Sociedade de Gestão Ambiental e Conservação da Natureza, beneficiários do projeto, realizaram uma série de ações que envolveram a reavaliação das áreas de intervenção, a colheita de sementes das espécies-alvo, a definição do plano operacional e a aquisição dos materiais necessários à implementação do projeto.

O LIFE VIDALIA desenvolve trabalhos de conservação em todos os sítios da Rede Natura 2000 das ilhas do Faial, Pico e São Jorge onde ocorrem a ‘vidália’ e o ‘Lotus azoricus’.

GaCS/DRA