Espécies Invasoras

Uma vez que a presença de Espécies Exóticas Invasoras é um dos principais fatores que afetam a viabilidade das espécies-alvo, o LIFE VIDALIA prevê um conjunto de métodos de controlo de flora e fauna que têm como objetivo reduzir o grau de invasão observado nas diferentes áreas de intervenção. Os trabalhos de monitorização que permitiram delinear o projeto revelaram a presença de um grande número de espécies invasoras nas áreas de intervenção, das quais se destacam: Aptenia cordifolia, Arundo donax, Briza maxima, Carpobrotus edulis, Cynodon dactylon, Cyrtomium falcatum, Delairea odorata, Drosanthemum floribundum, Hedychium gardnerianum, Hydrangea macrophylla, Ipomoea indica, Metrosideros excelsa, Osteospermum fruticosum, Lotus pedunculatus, Paspalum dilatatum, Phytolacca americana, Pittosporum undulatum, Sporobolus africanus, Tamarix africana, Tetragonia tetragonoides, Oryctolagus cuniculus, Mus musculus, Rattus rattus, Rattus norvegicus.

No sentido de alcançar os objetivos propostos no âmbito do controlo/mitigação das espécies invasoras nas áreas de intervenção, será aplicada uma combinação de métodos já testados e métodos de caráter piloto/demonstração. Para além disso, o projeto prevê ainda a criação de novos protocolos de erradicação e controlo das espécies de flora:

Aptenia cordifolia
Drosanthemum floribundum
Salpichroa origanifolia
Tamarix africana
Cyrtomium falcatum
Paspalum vaginatum
Stenotaphrum secundatum
Tetragonia tetragonoides

A mitigação de espécies de fauna invasora também é um dos objetivos do LIFE VIDALIA, uma vez que se prevê uma redução substancial do número de roedores, especialmente ratazanas (Rattus rattus e Rattus norvegicus), ratos (Mus musculus) e coelhos (Oryctolagus cuniculus), nas áreas de intervenção. Os trabalhos dedicados ao controlo destas espécies focar-se-ão não só nas áreas das populações das espécies a proteger, mas também nos espaços circundantes, sempre que seja recomendável e tendo em conta as condições do local.